Teatro&Cidade - Núcleo de Pesquisa Cênica do Teatro Universitário da UFMG

Av. Pres. Antônio Carlos, 6627 - Pampulha, Belo Horizonte - MG,

31270-901. Tel: 55 (31) 9 8445 0340 - 55 (31) 9 9485 9264

e-mail: teatro.cidade.tu@gmail.com

O jogo das máscaras tradicionais da cultura popular brasileira

 

Ministrante

Prof. Dr. Rogério Lopes

Descrição

A oficina pretende levar os alunos a experimentar e criar possibilidades de atuação utilizando as máscaras presentes nas diversas manifestações tradicionais da cultura popular brasileira. Serão utilizadas, por exemplo, máscaras dos brincantes do bumba-meu-boi do Maranhão, das folias de reis da região sudeste, das Cavalhadas de Goiás e etc.

Metodologia

Serão realizadas, prioritariamente, aulas práticas para explorar as possibilidades expressivas das máscaras populares que podem cantar, dançar e realizar acrobacias. A oficina será dividida em três momentos:

Primeiro: Os alunos serão levados a experimentar exercícios práticos preparatórios, de corpo e voz, para a utilização das máscaras, que foram inspirados nas manifestações populares. Neste primeiro momento os alunos deverão se apropriar das máscaras sem ter contato prévio com imagens das manifestações de onde elas se originaram, justamente para permitir e incentivar que cada aluno recrie de sua maneira as possibilidades de atuação com estas máscaras. Os alunos devem se relacionar com as máscaras, fazendo suas próprias releituras a partir de seu universo imaginário e de suas referências sócio-culturais.

Segundo: serão apresentados vídeos e fotografias das máscaras, assim com elas aparecem em suas respectivas manifestações, fruto do trabalho de pesquisa que vem sendo realizado por Rogério Lopes desde 2002 em diversos estados brasileiros. Serão fornecidas informações sobre a mitologia das máscaras e o contexto sócio-cultural de origem, permitindo que sejam feitos paralelos entre as performances experimentadas pelos alunos e as performances tradicionais.

Terceiro: retomar o trabalho prático colocando em diálogo os dois universos, aquele experimentado pelos alunos e os elementos tradicionais exibidos pelos vídeos e fotografias, tendo em vista uma síntese destes elementos.

Carga horária: 20 horas

Número de vagas: 15

Faixa etária: atores, bailarinos e demais pessoas interessadas no jogo da máscara, com idade a partir de 15 anos.

Espaços

Sala ampla ou área verde gramada com sombra

Materiais e equipamentos necessários

Os alunos deverão usar roupas confortáveis, trazerem uma meia calça nova ou usada e se possível trazerem roupas como capas, saias rodadas, paletós e blusas largas, e instrumentos musicais diversos, que poderão ser usados durante a oficina. Dvd player para exibição dos vídeos.

A atividade de exibição de vídeos prevista para a oficina pode ser transformada numa palestra sobre a máscara nas manifestações tradicionais da cultura popular brasileira aberta a todo o público. Desde que seja possível exibir os vídeos em tela maior. O material a ser exibido apresenta imagens de diversas folias de reis e de manifestações mascaradas brasileiras e portuguesas registradas na ocasião da pesquisa de doutorado do prof. Dr. Rogério Lopes, responsável por ministrar a oficina.